Tags: Fura greves

Individualismos e individualidades durante as paralisações e greves.

 

Acreditamos que muita gente confunde, e não só a nível linguístico, a INDIVIDUALIDADE com o INDIVIDUALISMO. As pessoas confundem as essências tão distintas destes dois conceitos. O 1° momento desse texto será dirigido à categoria da rede municipal, entretanto há informações que interessam a qualquer profissional critico.

Estamos sempre enfatizando a importância de sermos nós mesmos, nos valorizarmos como somos, buscarmos o autoconhecimento sempre, reconhecer nosso próprio poder pessoal e saber usá-lo com sabedoria. Tudo isto é sinônimo de afirmar nossa INDIVIDUALIDADE.

É construirmos nossa própria identidade, é fugirmos de modismos, da massificação. É conectarmos com nossa essência única, é nos expressarmos como nós somos realmente. Isto tudo, esta afirmação da nossa identidade, da nossa INDIVIDUALIDADE, passa cada vez mais pelo autoconhecimento e gera o fruto da autoestima.      A autoestima está presente na INDIVIDUALIDADE bem desenvolvida, mas está completamente ausente no INDIVIDUALISMO. Este acontece baseado no falso orgulho, no egocentrismo e no egoísmo. É nesse contexto que podemos estudar o ato de furar uma paralisação ou uma greve!
O INDIVIDUALISMO é fruto de uma sociedade neurótica e doente. Isto porque as pessoas que a compõem não tem sua INDIVIDUALIDADE bem desenvolvida, e na maioria dos casos não têm nem consciência disto. Acham erroneamente que estarem plenas de seus direitos como indivíduos é fazerem acontecer suas vontades custe o que custar e a quem for.
Psicologicamente os individualistas são pessoas que não têm noção de conjunto. São imediatistas o tempo todo. Estão sempre prontos para a briga, sempre com um pé atrás. São incapazes de atos generosos ou desapegados. Se o fazem é porque isto vai repercutir em sua vaidade. Aliás, a vaidade é extremada no individualista. E vai além da aparência física, é claro.
Pensar no todo, no Universo, na teia de acontecimentos que ligam os seres, isto não existe para o individualista, que na verdade está socialmente doente, perdido, que não consegue se aprofundar em si próprio, e na maioria das vezes não quer. Ele só quer melhorar o externo em sua vida. Sem perceber a necessidade de se melhorar por dentro, de se autoconhecer, de crescer, de evoluir. Isto tudo para ele é besteira e nós do sindicato temos que ouvir as mais absurdas desculpas para não participar do processo coletivo.

Questões do SEPE Núcleo Caxias.

Partindo do que foi descrito como princípios que diferenciam individualismo de individualidade, podemos aprofundar uma questão que me incomoda tremendamente. Por que o núcleo do SEPE – Caxias consegue fazer um bom movimento na rede municipal e no estado é dito por muitos que é fraco? E tem mais uma pergunta.

O que faz alguém que tem duas matriculas (uma no estado e outra no município de Duque de Caxias) ter  dois comportamentos distintos nos dois empregos ?  Claro que há diversos tipos de pessoas e não é o objetivo escrever uma tese sobre a ação individual de furar uma greve. A intenção desse texto é começar a entender, não é desabafar sobre uma angustia ou ofender quem fura ao movimento. A categoria pode e deve ultrapassar certos conceitos, mas lembre-se: acima do direito individual do fura-greve está o direito coletivo dos trabalhadores em greve.

              

Qual a diferença da rede Estadual pra a Rede de Duque de Caxias?

Se dissermos que na Rede estadual temos uma estrutura com gestor que incentiva o autoritarismo e as tensões não vai ser o suficiente para justificar o índice de movimento baixo na rede estadual. No município também há!

Alguns tentam justificar a mobilização com a diferença salarial, mas o SEPE – Caxias defende que é justamente a mobilização que nos garante salários acima da média.

Outros dizem que são anos de uma máquina de opressão na rede estadual que pacificou uma categoria que fazia a assembleias no Maracanã.

Há quem diga que o nosso núcleo tem força por atuar numa área municipal. Teoricamente podemos encontrar o prefeito e os vereadores fazendo compras no mercado de Bairro, mesmo que tenhamos provado na Data Base passada que o prefeito estava morando na Barra da Tijuca. Entretanto, os outros núcleos do SEPE  não possuem a mesma força do núcleo Caxias .

Isso descrito acima, não explica e nem justifica ter dois comportamentos  ideológicos distintos em pessoas que tem matriculas nas duas redes. Paralisação e Greve são direitos garantidos na Constituição do nosso país, mesmo que alguns diretores desconheçam a lei!  Todos são servidores públicos e ninguém vai perder o emprego por exigir dignidade!

Quando uma categoria resolve parar é para botar tudo que a inquieta para discutir. É a oportunidade de conversar com os colegas, com  patrões e com a sociedade o que está entalado na garganta. Por que está cheio de gente que faz greve no município, mas quando o sindicato vai na unidade estadual em dias de protestos encontra essas mesmas pessoas trabalhando ? Consciente num emprego e fura greve no outro.

Esperamos ter ajudado as duas redes do núcleo Caxias no esclarecimento do direito a paralisações e greve. Qualquer duvida procure o representante do sindicato na sua escola.

 

 

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0