O estresse profissional na educação .

 

Como nós passamos boa parte da vida na escola,  tentamos adaptar as  dicas dos psicológicos a vida do profissional do trabalhadores da educação  , mas os caminhos apontados  aqui são para os vários aspectos da vida .Comecemos o comentário dizendo que há  professores de  universidades que dizem que existe  um desgaste natural na nossa profissão . Nós do sindicato não podemos achar esse desgaste natural . Passamos por violências estrutural , física e psicológica que não podem ser naturalizadas !  Alguém diga isso ao gestor maior da cidade que é medico , mas desconhece os rigores de nossa profissão  e nesse contexto já desmereceu publicamente quem ficou doente . Coloquemos as doenças que são comuns da sociedade capitalista , mas  surgem na educação pública por falta de apoio institucional .

Depressão, ataques de pânico, transtornos alimentares, transtorno obsessivo-compulsivo… Essas doenças são sérias e, de acordo com o instituto Mind (mente em português), no Reino Unido, o número de pessoas que sofrem com esses problemas aumenta a cada ano. Sabemos que são doenças comuns na categoria da educação.  E quem sofre dessas são mais propensos a desenvolver outros problemas de saúde como obesidade coronária ou doenças respiratórias. Pensando nisso, selecionamos algumas dicas para você deixar a sua saúde mental nos trinques:

 

  1. Estabeleça metas

O estabelecimento de metas individuais e coletivas pode ser uma boa maneira de realizar tarefas ​​e definir expectativas razoáveis ​​para si mesma. Isso vai ajudá-la a alcançar o sucesso, mas vale lembrar que não atingir o seu objetivo não é sinônimo de fracasso, ok? O perfeccionismo é um dos responsáveis pela grande quantidade de pensamentos negativos e desnecessários.

  1. Seja ativo

Que fazer fora da escola para aliviar a pressão cotidiana? Um passeio no parque ou uma corrida ao ar livre são atividades que podem ajudar a diminuir a ansiedade, a depressão e melhorar o seu humor, sábia? Estudos publicados afirmam que 90 minutos de caminhada longe das áreas urbanas pode reduzir os pensamentos negativos . Sugestão: defina uma meta diária de passar cinco minutos em um espaço verde. Acredite isso vai ser ótimo para a sua saúde mental. Reconhecemos que parece até piada recomendar que moradores da região metropolitana do Rio façam passeios seguramente em áreas verdes. Isso é uma recomendação de psicólogos que não levam em conta a violência nas cidades, mas isso é uma questão de saúde publica que é nossa preocupação denunciar. Também é possível combater o estresse estendendo as amizades para fora da escola .

  1. Arranje um tempo para os outros Ajudar um amigo na escola, organizar o dia de um parente ou apenas dizer obrigado. Essas atitudes positivas estimulam as áreas de recompensa no cérebro e podem fornecer um senso de propósito e autoestima, além de poder ajudar a melhorar as suas relações existentes e criar novas. Nós precisamos de laços afetivos para sobreviver no espaço cheio de conflitos que é a escola.
  2. Medite! O principal objetivo da prática é fazer com que você fique mais consciente de si mesma, dos seus pensamentos, sentimentos e tudo que está relacionado com eles.  Essa técnica pode reduzir o estresse e a depressão e também facilita o processo de mudanças. Positivas, é claro.
  3. Peça ajuda

O diagnóstico preciso de doenças mentais só pode ser feito por um médico, um psiquiatra ou um psicoterapeuta. Por isso, não tenha vergonha de pedir ajuda e se for o caso se afastar,  conseguindo uma  licença medica pelo tempo que o profissional achar preciso .

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

2 Comentários


  1. Alex Silva

    Um professor que está em estágio probatório pode ter algum prejuízo em sua carreira, como a perda do cargo, caso tenha que se afastar devido a um problema psiquiátrico?


  2. Dir. Comunicação

    Nossa opinião é toda doença tem tratamento ! Só se o estado psíquico colocar em risco a segurança dos alunos .
    O sindicato luta pelos direitos da categoria, os casos que chegam a perder o cargo são raros e muitas vezes não tiveram o acompanhamento do sindicato . Tem que que haver um laudo e declaração que está sendo tratado e o jurídico do SEPE deve ter acesso se houver algum problema .

Deixe um comentário